procurando, encontre

09 abril, 2010

Otto e os sonhos intranquilos

Ontem foi o show de lançamento do CD 'Certa manhã acordei de sonhos intranquilos', do pernambucano Otto, no Sesc Pinheiros. O título do novo cd foi inspirado no livro 'Metamorfose', de Kafka, e quebrou um jejum que durava desde 2005, quando o cantor lançou o CD 'MTv Apresenta Otto'. Entre as músicas destaco 'Crua', '6 minutos' e 'Filha' canções que de alguma forma mexeram comigo, e sem dúvida animaram o público. Não sei que onda é essa, mas quase todos os shows que tenho assistido tem aparecido alguma música em homenagem a orixás. No show de Otto isso ficou na responsabilidade da música 'Janaína'. Duas músicas do disco contam com participações especiais, Otto divide os vocais com a cantora Céu em 'O Leite' e com Julieta Venegas em 'Saudade' (com ritmo delícinha, que me lembra um pouco Mano Chao). Sem dúvida as canções refletem alguns possíveis sonhos intranquilos, que trazem imagens de relacionamentos (mal) acabados.


O show durou cerca de duas horas e o repertório apresentou quase todas as canções do novo disco e outras mais antigas. Otto pareceu um pouco desatento, talvez com a percepção um pouco alterada, e não parava de dançar um segundo. Aliás, só parava de dançar para rolar no chão do palco ou virar copinhos d'água na cabeça. Apesar disso, ele transmiti muita alegria no que faz, e parece se divertir cantando e dançando - dancinhas pra lá de sensuais. Em alguns momentos parou para lamentar estar na casa dos quarenta, mas garantiu que ainda mantém a energia de quando tinha 16 anos. O público, que lotou o teatro, demonstrou que conhecia muito bem ele e as canções e pediu músicas que não estavam na set list do show, mas que foram prontamente atendidas. Ao final, todos dançaram, imitando os passinhos do cantor.



**texto publicado também no Estúdio ao Vivo.

2 comentários:

Angélica Lins disse...

Que espetáculo!!!
Se eu morasse aí, certamente estaria presente.
Parabéns pelo blog!
Abraço.

Leco Vilela disse...

O jejum rolou pq ele tava tocando em bares nos EUA do Norte. Ele deu umas entrevistas pra cultura, falando de como tava complicado a vida por aqui e que por lá rolava mais grana. Se não me engano até pra londres ele foi tocar um pouco.