procurando, encontre

16 agosto, 2010

Desassosegue-se!



Ontem assisti ao documentário "Uma noite em 67". Primeira reação: pensar que este documentário me emocionou menos que Dzi Croquetes. Momento de reflexão: porque comparar? Não há porque comparar. Mas vamos tentar entender o que me motivou: 1.) os dois abordam a música brasileira; 2.) os dois são documentários; 3.) os dois me apresentam, de alguma forma, um velho mundo novo. Talvez hajam outros motivos, mas não é necessário lembra-los. Conversando com o Lucas, cheguei a conclusão de que a comparação é desnecessária. Apesar de os dois documentários serem sobre artista brasileiros, música, etc, eles são diferentes. "Uma noite em 67" cumpre seu papel de documentário muito bem. Apresenta um pouco do que foram os festivais de música, mostra o início da carreira de diversos artistas hoje consagrados, incluindo um Mutantes jovenzinho e ainda quase que inesperiente. Conversamos que talvez tenha faltado a participação de algum representante daquele público dos festivais entre os entrevistados. Mas pensei que a voz daquele público, está no público de hoje. Literalmente. Ao meu lado se sentou uma senhora, que se emocionou em diversos momentos, e que de certa forma me obrigou a ouvi-la acompanhar "Domingo no Parque", "Alegria, Alegria", "Roda Viva", "Ponteio" e "Maria, Carnaval e Cinza". Ao final da sessão, já estavamos tão "íntimos", ela me confidenciou que tinha 17 anos quando aconteceu aquele festival. "Eu estava lá. Não lá. Eu estava no Rio... Mas eu assisti!". Foi muito legal. Dzi Croquettes tem um apelo emocional desde o primeiro segundo, quando a diretora Tatiana Issa nos confidencia que "eles serão sempre os meus palhacinhos". Enfim. Essa história toda me lembrou uma frase do Nietzche que uma amiga twittou certa vez: "Logo que, numa inovação, nos mostram alguma coisa de antigo, ficamos sossegados". Não sou nenhum estudioso de Nietzche, mas a impressão que essa frase me dá é de que quando ficamos sossegados, nos impedimos de dar um passo adiante. E que as vezes essas comparações, que eu estava tentando fazer, só serve para me deixar sossegado.

Nenhum comentário: