procurando, encontre

22 agosto, 2011

Meu final de semana com João Miguel

Sábado caminhei randomicamente pela Paulista. Sai para almoçar e, sempre que saio sem um lugar definido para ir, acabo me perdendo. Entro e saio de restaurantes e bares. Acho tudo superfaturado! Acabei morrendo com dois pedaços de pizza na Bella Paulista. O benefício dessa andança toda foi que acabei encontrando com João Miguel em cartaz com o filme Ex-isto, no Espaço Unibanco. Inspirado no livro Catatau, de Paulo Leminski, Ex-isto, novo filme do mineiro Cao Guimarães, traz João Miguel como René Descartes e a possibilidade de seu dia-a-dia no Brasil caso tivesse integrado as esquadras de Mauricio de Nassau tempos atrás. A primeira parte do filme é bastante contemplativa (não segurei muito bem)... Na sequência, uma série de cenas nos dias atuais em que Miguel Descartes caminha, dança e realiza descobertas pelos interiores do Brasil, vivenciando situações no mínimo hilárias.

Domingo sai de casa com um destino definido. Almoçaria no SESC Pinheiros, depois visitaria a exposição Warhol TV, no mesmo local, e caminharia alguns metros até o Instituto Tomie Ohtake onde poderia, finalmente, apreciar a tão comentada exposição de Louise Bourgeois (para os íntimos, a criadora da aranha do MAM, no Ibirapuera). Tirando que o Restaurante da Comedoria já estava fechado, a visita às exposições foi muito bem sucedida. Sobretudo no Tomie Ohtake. Além das inspiradas esculturas, pinturas, escritos e desenhos de Bourgeois, ainda tive tempo para ver uma mostra de fotografia contemporânea que inclui imagens criadas por Francis Alÿs, Miguel Rio Branco, entre outros.

A grande surpresa da tarde ficou por conta de um espetáculo em cartaz no SESC Pinheiros: Donka - uma carta a Tchekhov. Sem saber do que se tratava, mas curioso para saber um pouco mais sobre o autor russo (um dos publicados na coleção Prosa do Mundo), lá fui eu. Um espetáculo surpreendente. A montagem é da Cia. Finzi Pasca, e conta com atores/acrobatas/músicos/clowns inspirados. Há no elenco duas atrizes brasileiras, e os demais não hesitam em arranhar palavras em português. Cenas belíssimas, compostas por performances aéreas, sapateado, malabarismo, teatro de sombras, etc. Um circo majestoso. Memorável a cena em que um dos atores gira em um grande aro enquanto caem pétalas de rosas, numa luz outonal (a partir de 5’14” no vídeo). Entre as descobertas da noite: Tchekhov, um pescador de ideias e os espetáculos de dissecação, nos quais se buscava desvendar onde a alma ficava escondida, pelos quais o público pagava, muito bem, para ver (ficções ou não, não importa). Ao final, aplaudindo de pé, contemplando atores e público, avisto ninguém menos que João Miguel. Sim, um pouco mais cabeludo que no dia anterior, aplaudindo efusivamente.




p.s.: João Miguel aparece peladinho desnudo em Ex-isto. Sempre às 18h. Grátis.

Um comentário:

Mariana Campos disse...

Adorei o texto e amei ver vc (e o João Miguel) no Sesc! rs bjs querido!