procurando, encontre

05 fevereiro, 2012

5 de fevereiro de 1992

... se o guarda-roupa já não tivesse ido viajar, os números do calendário que papai colou na parte interna da porta acabariam hoje, sempre gostei de viagens, mas hoje acho tudo estranho, é como se eu tivesse que ir ao hospital por causa da minha tosse, já tem dias que meus pais tentam me convencer de que faremos uma boa mudança, dizem que vamos morar na amazônia, “onde ainda há um restinho de paraíso”, mas é estranho, todos os parentes perguntam o que vamos fazer naquele “fim de mundo”, a possibilidade de entrar no variguinho sem data pra voltar me assusta, acho que até mais do que aquele filme que passou outro dia, no aeroporto, vó agueda finge não chorar, meus pais também, não consigo entender, não estavam todos felizes com a possibilidade de morar no paraíso? minha irmãzinha parece nem entender o que está acontecendo, eu entendo ela, estar neste avião parece muito com andar de tênis apertado, me parece que se tivéssemos viajado a pé seria mais rápido, descubro que o pior ainda não passou, em terra entramos num ônibus estranho, parece que estamos numa corrida maluca, nunca vi tanta terra e tanto verde em minha vida, os buracos na pista parecem lagoas, o céu azul e sem prédios me sufoca, meu pai tomou meu relógio de pulso e me devolveu com duas horas a menos, estranho a ideia de conseguir voltar no tempo mas não estar de volta ao passado, depois de muitos buracos chegamos à casa do vô Abelardo, ele está sorrindo, chorando, sorrindo e chorando, mamãe também sorri e chora, fomos recepcionados com o aniversário de minha prima, e eu, que sempre gostei de aniversários... me pergunto quantos anos isso vai durar...


__________

Coloquei algumas fotos desse período no Facebook: http://on.fb.me/xLt83L

Nenhum comentário: